Conheça os grupos do CORALUSP


CORALUSP 12 EM PONTO

Foto: Gabriel Novais

Retratos Urbanos – Cronistas da Cidade

Retratos urbanos surgiu a partir da vontade de comemorar os 80 anos de Chico Buarque. Na discussão que tivemos percebemos que Chico Buarque, entre tantas outras qualidades, é um grande cronista da cidade. A partir desta ideia inicial resolvemos expandir a ideia de histórias e crônicas da cidade para outros compositores. Dessa forma fazem parte do nosso roteiro imaginário compositores como Noel Rosa, Wilson Batista, Paulo Vanzolini, Adoniran Barbosa, Alceu Valença, premeditando o Breque, Itamar Assumpção, Criolo, entre muitos outros.

Conhecer a cidade, suas histórias, personagens e contradições nos faz entender melhor quem somos, de onde viemos e o que podemos fazer para criar um lugar melhor para todos nós.

Regente: Eduardo Fernandes

Ensaios: Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – 2° Andar, Sala 20 – Butantã | Segundas e Quartas, das 12h às 14h.

Vagas: Todas as vozes, com ou sem experiência.

CORALUSP ANDANTE

Foto: Gabriel Novais

Pororoca

Pororoca pretende oferecer aos coralistas e ao público um percurso histórico e geográfico através dos formantes da vocalidade coral brasileira. Serão abarcadas quatro vertentes principais:

I – Cantos tradicionais ameríndios 

Através da parceria com a cantora, compositora e pesquisadora Marlui Miranda, o CORALUSP conta com um extenso material de músicas de povos originários adaptadas para coro, presentes no livro/álbum Ihu- todos os sons e no álbum Kewere-rezar, ambos com participação do grupo Beijo no início dos anos 1990. Serão interpretadas três canções de diferentes etnias ameríndias presentes nesses trabalhos.

II – Linha cronológica da música coral europeia 

Será traçado um percurso desde as origens da vocalidade eclesiástica na idade média, no cantochão que deu origem à nomenclatura ocidental de notas até as polifonias renascentistas, chegandino na expressão das tonalidades barroca e clássica 

III – cantos de candomblé

Com base na pesquisa iniciada em 1988 pela equipe de estruturação musical da época, o CORALUSP conta com um vasto material de cantos de candomblé, dos quais serão interpretados três.

IV – a mistura

Nesta parte do concerto apresentaremos alguns dos frutos da mistura de ancestralidades brasileiras. Sambas de Dorival Caymmi, da parceria João Bosco e Aldir Blanc. Teremos uma homenagem ao grande cantautor Chico Buarque que comemorará 80 anos em 2024, a música atemporal de Mateus Aleluia e a composição de um dos intergrantes do coro. Finalizando o concerto, retornamos aos povos originários, desta vez na expressão do sincretismo GuaraniKayowá com o canto falado de MC Kunumi.

Regente: Tiago Pinheiro

Ensaios: Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – 2° Andar, Sala 20 – Butantã | Grupo Andante 1 – Terças-feiras, das 17h15 às 18h45 | Grupo Andante 2 – Quintas-feiras, das 18h15 às 20h45. Ensaios de naipes às terças-feiras (uma vez por mês) das 19h15 às 20h45.

Vagas: Vozes masculinas com ou sem experiência.

CORALUSP AZUL

Foto: Gabriel Novais

 Projeto Azul Popular

A proposta do projeto “Azul Popular” é a de fazer uma seleção das músicas do repertório do Grupo Azul do CORALUSP que mais atingiram o gosto popular ao longo de seus 27 anos de atividades, bem como realizar a confecção de novos arranjos de músicas que tenham essa mesma característica e retórica.

Regente: André Juarez

Ensaios: Azul Dia: Favo 17 – Rua do Anfiteatro, 181 – Butantã | Terças e Quintas, das 12h às 14h.
Azul Noite: Favo 17 – Rua do Anfiteatro, 181 – Butantã | Segundas e Quartas, das 20h às 22h. Sábados, das 15h30 às 18h30 na Faculdade de Saúde Pública / USP, Av. Dr. Arnaldo , 715 – Cerqueira César.

Vagas: Todas as vozes, com ou sem experiência.


CORALUSP DONA YAYÁ

Foto: Gabriel Novais

Agora!

Vozes recentes de São Paulo, uma aproximação do canto coral com o RAP e a cultura Hip Hop.

PEDRA 90

Uma homenagem às vozes e criações dos jovens paulistanos da geração dos anos 80 e 90 que recriaram e deram continuidade a vitalidade do samba paulistano.

Para o ano de 2024 propomos a continuação de apresentações públicas do projeto AGORA!, e a leitura do repertório do novo projeto PEDRA 90.

Regente: Mauro Aulicino

Ensaios: Casa Dona Yayá (Centro de Preservação Cultural da USP) – Rua Major Diogo, 353 – Bela Vista | Semanais: Quintas-feiras, das 19h às 22h. Mensais (naipe) – Terças-feiras, das 19h30 às 21h30.

Vagas: Tenores e baixos com ou sem experiência.




CORALUSP FEMININO

Foto: Gabriel Novais

Pra chegar mais perto delaS

O projeto tem como objetivo apresentar treze canções de Chico Buarque, no ano em que o compositor completa 80 anos. A seleção no repertório do autor, que é reconhecido por trabalhar com maestria o eu-lírico feminino, faz um mergulho em sua obra, trazendo músicas que têm a experiência de diferentes mulheres como tema – mas com uma ambição a mais em sua perspectiva. O repertório a ser arranjado e cantado pelas mulheres do Coralusp Feminino – tão diversas em suas trajetórias, gerações e repertórios – são interpretadas a partir do hoje, ainda que compostas em outras décadas.

Canções contemporâneas, de 2017 ou 1998, por exemplo, ladeiam outras de 1968, do álbum “Chico Buarque Volume 3”. Algumas foram produzidas nos anos 1970, e há ainda peças criadas para musicais e espetáculos como “O Grande Circo Místico”, de 1983, ou “Ópera do Malandro”, de 1979, com toda a sua potência imagética e dramática. Todas elas são lidas com a lente contemporânea, que vem sendo cada vez mais permeada pelas questões feministas. A luta das mulheres hoje traz para o primeiro plano a multiplicidade de experiências do ser-mulher. A diversidade de corpos, os marcadores raciais e sociais operam de forma inegável: compartilhamos muitas questões, mas a opressão incide de forma diferente a depender do grupo a que se faz parte. Com essa consciência, o Coralusp Feminino se lança sobre as canções selecionadas, por vezes, para exaltar sua contemporaneidade, eloquência e precisão poética; e em outras, para marcar uma leitura crítica, uma provocação irônica à visão de um outro tempo, um comentário que não deslegitima a beleza de uma composição, mas a atualiza. Chico Buarque sempre traduziu e traduz uma cultura que é também nossa, celebremos cantando as amantes e as donzelas que povoaram nosso imaginário, mas também as mulheres trans, as prostitutas, as lésbicas, as anciãs, as mulheres de outros tempos, as mulheres de hoje que ele também cantou – ou ainda pode cantar. Somos mesmo muitas.

Stabat Mater de Pergolesi e Missa São Sebastião, de Villa Lobos

Estas duas peças que compõem o programa são importantes para o repertório de um coro feminino. Além da importância histórica, as obras contribuem para a evolução musical e técnica do grupo. Uma obra da renascença italiana e outra brasileira, do século 20, que têm em comum o fato de serem sacras, com texto em latim, escritas originalmente para vozes femininas. Somadas as obras, compõem um programa de aproximadamente 60 minutos de duração. O Stabat Mater pode ser feito com um grupo pequeno de cordas, ou cravo ou órgão. A Missa de Villa Lobos é sem acompanhamento. 

Regente: Paula Christina Monteiro

Ensaios:  Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – 2° Andar, Sala 20 – Butantã | Segundas e Quartas, das 18h às 20h30.

Vagas: Vozes soprano, mezzo e contraltos, com experiência.

CORALUSP JUPARÁ

Foto: Gabriel Novais

De Corpo e Alma

Atualmente, o CORALUSP Jupará trabalha o programa “De corpo e alma”. A proposta é apresentar obras do repertório coral de diferentes épocas e estilos, mas com ênfase na música antiga. O repertório deve, necessariamente, combinar composições sacras e seculares.

Regente: Alberto Cunha

Ensaios: Favo 16 – Rua do Anfiteatro, 197 – Butantã | Sábados, das 15h às 18h.

Vagas: Todas as vozes com experiência em canto coral.




CORALUSP LAPA

Foto: Gabriel Novais

Agora!

Vozes recentes de São Paulo, uma aproximação do canto coral com o RAP e a cultura Hip Hop.

XIRÊ DE CANÇÕES

Um Xirê de canções do repertório da música popular urbana brasileira desde os anos 50 até os dias de hoje com canções que tragam uma tradução poética ou citem elementos das culturas de matriz africana na diáspora afro-brasileira.

Para o ano de 2024 propomos a continuação de apresentações públicas do projeto AGORA!, e a leitura do repertório do novo projeto XIRÊ DE CANÇÕES

Regente: Mauro Aulicino

Ensaios: Biblioteca Mário Schenberg – R. Catão, 611 – Lapa, São Paulo | Semanais: Segundas e Quartas, das 20h às 22h15. Mensais (naipe): segundas-feiras, das 19h30 às 21h30.

Vagas: Tenores e baixos com ou sem experiência.



CORALUSP SESTINA

Foto: Gabriel Novais

Glória de Vivaldi e a Missa em Ré Maior de Dvorak

Neste ano de 2024, a maestrina Marcia Hentschel celebra seus 40 anos de CORALUSP com um programa que destaca duas importantes missas do repertório coral — o Gloria de Vivaldi e a Missa em Ré Maior de Dvorak —, incluindo também as principais peças que marcaram esses 40 anos de atuação.

As duas missas possuem uma riqueza de aspectos técnicos e interpretativos que podem ser muito bem trabalhados com o coro, elevando-o a um outro patamar de qualidade e maturidade. Ao mesmo tempo, o repertório como um todo traz peças conhecidas e que fizeram sucesso com o público, sendo assim também prazeroso para os cantores.

Regente: Marcia Hentschel

Ensaios: Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – 2° Andar, Sala 20 – Butantã | Sextas-feiras, das 19h às 22h.

Vagas: Encerradas.




CORALUSP SUL FIATO

Foto: Gabriel Novais

Canções da América

Este programa contém peças de países do continente americano, entre eles, Brasil, Estados Unidos, México, Argentina, Peru, entre outros.

Há uma gama de obras de compositores eruditos e populares nos países das américas. Entre eles Villa Lobos (Brasil), Astor Piazzolla (Argentina), Peru (Chabuca Granda) e George Gershwin, por exemplo. Além disso, há as peças consagradas nos ritmos de alguns países latino-americanos, como boleros mexicanos, tangos argentinos e uma variedade enorme de ritmos caribenhos. Este projeto contempla peças eruditas, folclóricas e populares de vários países, formando um repertório diversificado e eclético.

Regente: Paula Christina Monteiro

Ensaios: Terças-feiras, das 18h às 20h30 no Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – 2° Andar, Sala 20 – Butantã | Quintas-feiras, das 18h às 20h30 no ICB 3 – Av. Prof. Lineu Prestes, 2415 – Butantã, São Paulo – SP, 05508-900.

 Vagas: Vozes Sopranos e contraltos com experiência, tenores e baixos com ou sem experiência.

CORALUSP TARDE 

Foto: Gabriel Novais

Repertório Eclético

O CORALUSP Grupo Tarde apresentou o Projeto “Os 4 Elementos e o Feminino” em 2023 somente com vozes femininas e em 2024 pretende voltar com um grupo misto sopranos, contraltos, tenores e baixos e um repertório eclético, peças simples de fácil leitura e absorção, oferecendo uma variedade de estilos musicais que vão desde clássicos atemporais até músicas contemporâneas.

A intenção é envolver a comunidade interna e externa da universidade, trazendo uma experiência enriquecedora para todos os participantes.

Esse projeto busca enriquecer a vida cultural da universidade, oferecendo um espaço para os estudantes, professores e membros da comunidade local, permitindo que todos tenham a oportunidade de expressar a música dentro de si.

Regente: Marcia Hentschel

Ensaios: Segundas-feiras, das 18h às 20h | Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – 2° Andar, Sala 20 – Butantã

Vagas: Encerradas.

CORALUSP XI DE AGOSTO 

Foto: Rebeca Pereira

Divas da Música Brasileira

Este repertório pretende apresentar um panorama de canções que ficaram imortalizadas nas vozes de grandes cantoras da música popular brasileira, assim como composições escritas por mulheres. Neste panorama entram canções gravadas por intérpretes como Dalva de Oliveira, Linda Batista, Emilinha Borba, Carmen Miranda, Maysa, Nara Leão, Clementina de Jesus, Elza Soares, Clara Nunes, Gal Costa, Elis Regina, Maria Bethânia, Luedji Luna, entre outras, e canções compostas por Chiquinha Gonzaga, Dolores Duran, Joyce, Rita Lee, Adriana Calcanhoto, Marisa Monte.

Este repertório busca valorizar a presença feminina na música brasileira, por meio de suas intérpretes e compositoras.

Regente: Eduardo Fernandes

Ensaios: Faculdade de Direito – Largo São Francisco, 95 – 3º andar, Sala Almeida Júnior – Centro | Quartas-feiras, das 19h às 22h e Sábados, das 10h às 13h.

Vagas: Todas as vozes, com ou sem experiência.


CORALUSP ZIMANA

Foto: Equipe CORALUSP

 Mapa da Música Coral

Nesse ano o CORALUSP Zimana dará continuidade ao programa Mapa da Música Coral, proposta de excursão musical que percorre diferentes países, épocas e estilos. O repertório passeia por vários períodos históricos, desde a Idade Média até os dias atuais, transitando ecleticamente pelas vertentes da música erudita e da música popular e folclórica. A linguagem musical é universal e mesmo aquelas peças cantadas em idiomas que nos são distantes e pouco conhecidos são capazes de transmitir múltiplas emoções a todos os ouvintes. Cada canção é um rico microcosmo e a combinação dessas canções em um programa de concerto proporciona uma prazerosa viagem sonora.

Regente: Alberto Cunha

Ensaios: Favo 16 – Rua do Anfiteatro, 197 – Butantã | Terças e Quintas, das 20h às 22h .

Vagas: Todas as vozes, com ou sem experiência.